quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

AVATAR

Esse pode ser considerado para muitos o filme do ano. E ele tem argumentos convincente para ser, sim, um dos melhores filmes de 2009. É claro que os milhões de dólares investido na película ajudam bastante na divulgação. A propaganda foi contundente, ninguém pode negar.

Eu fui assistir a esse filme sem muitos conhecimentos a seu respeito. Foi bem na louca, assim pode-se dizer. Mas enfim, fui e me surpreendi.


A história é a seguinte, segundo o ADORO CINEMA:

Jake Sully (Sam Worthington) ficou
paraplégico após um combate na Terra. Ele é selecionado para participar do programa Avatar em substituição ao seu irmão gêmeo, falecido. Jake viaja a Pandora, uma lua extraterrestre, onde encontra diversas e estranhas formas de vida. O local é também o lar dos Na'Vi, seres humanóides que, apesar de primitivos, possuem maior capacidade física que os humanos. Os Na'Vi têm três metros de altura, pele azulada e vivem em paz com a natureza de Pandora. Os humanos desejam explorar a lua, de forma a encontrar metais valiosos, o que faz com que os Na'Vi aperfeiçoem suas habilidades guerreiras. Como são incapazes de respirar o ar de Pandora, os humanos criam seres híbridos chamados de Avatar. Eles são controlados por seres humanos, através de uma tecnologia que permite que seus pensamentos sejam aplicados no corpo do Avatar. Desta forma Jake pode novamente voltar à ativa, com seu Avatar percorrendo as florestas de Pandora e liderando soldados. Até conhecer Neytiri (Zoe Saldana), uma feroz Na'Vi que conhece acidentalmente e que serve de tutora para sua ambientação na civilização alienígena."

A direção de James Cameron, o mesmo de TITANIC, foi primorosa. Ele, que apesar de ser o diretor, atua nas outras áreas como roteiro e produção, mostrou que é um dos gênios da sétima arte.

O que mais chama atenção no filme, e quem viu sabe disso, são os efeitos especiais. É de cair o queixo. E olhe que assiti em 2D. Em 3D deve ser adrenalina pura! Além de construir com maestria quase impecável as revoluções da época em que vivem os personagens (2154 d.c), conseguiram mixar elementos reais com a arte gráfica, ao mostrar os ets de Na'Vi, que são interpretados por atores mesmo, assim como fizeram com Gollum, de O Senhor dos Anéis.

Mas o que realmente me tocou foi a história. Não é o roteiro melhor de todos os tempos. Até mesmo tem os clichês que não cansam nunca, como o romance entre o mocinho e mocinha e a presença de vilão. Uma característica bem romântica (no sentido da escola literária. Não é a toa que os filmes de maiores bilheterias na história do cinema são "românticos" como TITANIC e Ghost). Apesar disso, é de se emocionar ao perceber a ingenuidade das criaturas azuis em relação ao pensamento egoísta do homem. Os ets, inclusive, lembram os índios (usam arco e flecha, são como seres primitivos). Eles ainda, posso dizer, não foram "contaminados" pela riqueza material. Prezam bastante a união do povo, a junção de todos como força para a conquista de um objetivo, e isso fica claríssimo no filme. Sem contar que Cameron cutuca até mesmo o tema ambiental, ao retratar uma árvore como sendo a possuidora de uma grande riqueza.

O diretor, em outros filmes como O Exterminador do Futuro, por exemplo, também abusa de novas tecnologias mas não deixa de fazer uma crítica ferrenha à valorização extrema do homem em relação às máquinas.

Se fosse possível poderia escrever páginas e páginas sobre AVATAR. Não vou considerar como o melhor filme que já assisti (Ele não entraria no meu Top 10!). Mas posso dizer que esse foi um filme que me impressionou, me comoveu e me fez refletir sobre os valores egoístas que o homem ,infelizmente, tem e suas consequencias nas próprias vidas.

É isso. Para quem ainda não viu, vale a pena.



3 comentários:

Jamitow disse...

Concordo plenamente com o que você falou Flavinha. De fato, os clichês estão lá e o romance é o que move a saga contada no filme. Mas em questões de mensagens achei muito legal e pelo fato do filme ser longo, (ok, poderia ser um pouco menos) faz você se envolver MUITO com a história. Alguém aqui não comemorou quando eles começaram a derrubar o ataque aéreo dos humanos? Bem emocionante !!!
E os efeitos... pow falar deles é como chuver no molhado. O que achei foda é que a interface entre humanos/criação gráfica ficou mto bem feita. Você quase esquece que eles estão num fundo verde =p

bjooo

Pedro Cavalcanti disse...

"Alguém aqui não comemorou quando eles começaram a derrubar o ataque aéreo dos humanos?" (Jamerson)

Eu não comemorei! já tava entediado faz tempo! haha!


Eu esqueci de citar no meu post essa vibe consciente do filme... é um ponto positivo... gostei dessa parte e acho que ele poderia ter crescido muuuuuito o filme explorando mais.

Ah! Não concordo qnd vc diz que "tem os clichês que não cansam nunca"

ELES CANSAM SIM! ¬¬ não aguento mais!

Renata disse...

Pra mim esse foi o filme do ano!
Eu fui vê-lo sem muitas espectativas, pra dizer a verdade, pensava q seria mais um daqueles filmes que são só efeito especiais, tipo 2012.

Os efeitos são incríveis... os humanos juntos dos Na'vis tá perfeito! sem falar entao da historia.. do romance, da questão humano X natureza; da fotografia, dos atores
Ou seja, Cameron nao pecou em nada!
emocionante!

:D